Índice

Durante a noite, muitas pessoas interrompem o sono para ir ao banheiro ou tentar adormecer novamente, mas é necessário ter cuidado ao fazer isso.

Dormir é, sem dúvida, um dos maiores prazeres que podemos desfrutar. Quando dormimos, nosso corpo descansa completamente e nos sentimos revigorados. Nossa energia é restaurada, nos sentimos revitalizados e prontos para enfrentar um novo dia e seus desafios.

No entanto, muitas pessoas enfrentam dificuldades para dormir durante a noite. A verdade é que muitas vezes interrompemos o sono para ir ao banheiro ou tentar adormecer novamente no sofá. Mas é preciso ter cuidado ao fazer isso.

Se você é uma daquelas pessoas que costumam acordar no meio da noite para ir ao banheiro ou simplesmente verificar a casa, este artigo serve como um alerta.

Geralmente, quando nos levantamos à noite, fazemos isso descalços, embora algumas pessoas usem sandálias, o que é mais recomendável, especialmente no escuro, para evitar acidentes como pisar em uma barata ou, pior ainda, em um escorpião (o que é mais comum do que se imagina).

Cuidado ao acordar no meio da noite

Quando acordamos à noite, geralmente é para ir ao banheiro, beber água, verificar a casa ou fazer algo que acabamos de lembrar no meio dos nossos sonhos.

Com certeza, você já fez isso. No entanto, essa interrupção do nosso sono pode ser muito prejudicial ao nosso corpo, especialmente se ocorrer com frequência.

Você provavelmente já ouviu falar de casos em que alguém estava bem e, do nada, morreu sem motivo aparente. Mas é possível que a causa tenha sido se levantar rapidamente enquanto dormia.

O fato de se levantar rapidamente no meio do sono para fazer algo pode nos afetar, pois, ao fazê-lo rapidamente, o cérebro não recebe fluxo sanguíneo suficiente, o que pode causar desmaios e perda de consciência, especialmente em pessoas com pressão baixa.

Portanto, recomendamos algo extremamente importante se você não quiser ter um acidente e morrer após acordar à noite. É uma regra simples que consiste em três etapas, que devem ser realizadas em três minutos e meio, e podem salvar sua vida, pois o cérebro fica com baixo fluxo sanguíneo enquanto dormimos e precisa de tempo para se recuperar.

O que você precisa fazer é:

  1. Acorde e fique na cama por um minuto e meio para deixar seu cérebro acordar.
  2. Sente-se na cama por mais um minuto e meio.
  3. Desça as pernas e sente-se na beira da cama pelos 30 segundos restantes.

Isso ajudará seu cérebro a acordar e seu coração a não falhar, evitando assim a morte súbita.

Leve essas informações em consideração e mantenha-se sempre saudável. E não se esqueça de compartilhar para ajudar outras pessoas.

É normal acordar à noite para fazer xixi?

Muitas pessoas acreditam erroneamente que acordar para fazer xixi durante a noite é um sinal de saúde, de que o organismo está funcionando bem. No entanto, a noctúria está frequentemente relacionada à redução na qualidade do sono, sonolência diurna, aumento da pressão arterial, alteração do humor, maior propensão a quedas e fraturas e até a acidentes de trânsito.

O risco de desenvolver noctúria aumenta com a idade, chegando a 30% entre pessoas com mais de 65 anos e ultrapassando os 50% entre aquelas com mais de 80. Como se pode perceber, atinge principalmente pessoas mais velhas, que geralmente são mais frágeis.

É importante deixar claro que a noctúria em si não é uma doença. Urinar frequentemente à noite deve ser visto como um sinal de alerta para a pessoa procurar um médico (geralmente um urologista) e descobrir o que está errado, além de prevenir os problemas mencionados anteriormente.

Existem três causas principais para a noctúria:

  1. Obstrução do jato urinário, que pode ocorrer devido ao aumento benigno da próstata em homens ou a um estreitamento da uretra, o canal por onde a urina sai.
  2. Hiperatividade vesical, caracterizada por contrações involuntárias da bexiga que causam uma vontade intensa de urinar, e está relacionada a infecção urinária, cálculos renais ou não tem causa aparente.
  3. Aumento na produção noturna de urina, associado a fatores ou doenças como insuficiência cardíaca, diabetes, insuficiência venosa (inchaço das pernas) ou desequilíbrio hormonal.

Remédio caseiro para incontinência urinária

Apesar do tabu em torno da incontinência urinária, existem várias maneiras de tratar o problema ou até mesmo conviver com ele de forma tranquila. Portanto, se você quer saber mais sobre esse assunto, continue lendo!

Qual a causa da incontinência urinária?

A incontinência urinária pode estar associada a diferentes problemas, mas geralmente é causada pelo enfraquecimento do esfíncter urinário e dos elementos de suporte da uretra e da bexiga, o que faz com que esses órgãos percam a capacidade de fazer a força necessária para segurar a urina.

Alguns fatores que podem contribuir para o enfraquecimento dessas estruturas são a multiparidade (em mulheres) ou cirurgias ginecológicas, sendo que a incontinência urinária feminina corresponde a cerca de 40 a 70% dos casos. Já em homens, a incontinência urinária é geralmente mais rara e frequentemente causada por cirurgias prostáticas.

A idade também é um fator que contribui para o desenvolvimento da incontinência urinária, pois com o tempo, a quantidade máxima de urina que a bexiga pode reter pode diminuir. Além disso, com o avanço da idade, o intervalo entre o aviso que o cérebro recebe e a decisão de urinar deixa de ser o mesmo que na juventude.

O que fazer quando se tem incontinência urinária?

A dúvida sobre o que fazer quando se tem incontinência urinária é muito comum. Afinal, ninguém quer sofrer com uma perda de urina quando está em público ou perto de outras pessoas. Portanto, independentemente de ser uma incontinência urinária leve, moderada ou grave, o primeiro passo é sempre procurar um especialista, para que ele possa analisar o caso individualmente e identificar as possíveis causas da condição e, com isso, determinar o tratamento adequado.

Em alguns casos, o profissional pode prescrever desde remédios caseiros para incontinência urinária até medicamentos mais específicos, conhecidos como anticolinérgicos e agonistas beta 3, que têm como principal função reduzir a frequência e a intensidade das contrações involuntárias da bexiga, atuando como um relaxante muscular.

Em situações mais específicas, pode ser recomendada a cirurgia para corrigir o problema. Outras formas de corrigir a situação incluem exercícios para fortalecer os músculos do assoalho pélvico e da bexiga ou a adoção de alguns cuidados diários, como:

  • Terapia comportamental, que envolve ter horários fixos para ir ao banheiro, mesmo quando não há vontade de urinar;
  • Praticar exercícios perineais;
  • Regular o intestino, pois a constipação também pode causar ou piorar a incontinência urinária;
  • Cuidados com a alimentação, evitando alimentos que irritam a bexiga, como cafeína, álcool, frutas cítricas, tabaco e alimentos picantes.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *